04 de outubro de 2021

Biden convoca 30 países para falar sobre ransomware e crimes cibernéticos internacionais

Em um comunicado divulgado em 1º de outubro, a Casa Branca revelou planos de convocar 30 nações para o mês de segurança cibernética como parte de um "esforço de todos os países para enfrentar as ameaças cibernéticas".

 

"Devemos trancar nossas portas digitais", recomendava a declaração, "criptografando nossos dados e usando autenticação multifator, por exemplo - e devemos construir tecnologia com segurança desde o projeto, permitindo que os consumidores entendam os riscos nas tecnologias que compram."

 

O governo aparentemente está procurando reunir membros da OTAN e do G7 sobre o assunto. Desde uma primavera turbulenta, a segurança cibernética e, especialmente, o ransomware emergiram como as principais prioridades de segurança nacional e internacional.

 

Não mencionado no anúncio de hoje foi o papel da Rússia e o suposto envolvimento do Kremlin em ataques virtuais chefiados por gangues cibernéticas. O ransomware foi uma das principais pautas nas conversas entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente russo, Vladimir Putin.

 

Mais recentemente, o governo americano emitiu  sanções contra uma exchange de criptomoedas, a Suex. Registrado em Praga, mas com sede em Moscou e São Petersburgo, a Suex estava vinculada a saques de ransomware, bem como à troca de cripto suja e ao mercado darknet Hydra.